ESPORTE COLETIVO E INDIVIDUAL, COM E SEM INTERAÇÃO COM O ADVERSÁRIO

http://www.efdeportes.com/efd71/esportes.htm

 

http://pt.wikipedia.org/wiki/Badminton

 

 

 

 

 

 

Acrosport

 

http://en.wikipedia.org/wiki/Acro_Sport_II

 

 

Prof.Ricardo

Lutas: origem da capoeira

http://pt.wikipedia.org/wiki/Capoeira

 

 

Força de samurai, quem eram os samurais? (Laijutsu, Kenjutsu e Jojutsu).

http://pt.wikipedia.org/wiki/Samurai

Laijutsu

Kenjutsu

Jojutsu

A Espada do Samurai

 

Prof. Ricardo

Esportes Coletivos

http://pt.wikipedia.org/wiki/Faustebol

 

V Copa Curitiba Internacional

Corfebol

http://pt.wikipedia.org/wiki/Corfebol

 

Thoukball

http://pt.wikipedia.org/wiki/Tchoukball

 

Kin-ball

http://en.wikipedia.org/wiki/Kin-Ball

 

Curling

http://pt.wikipedia.org/wiki/Curling

 

Prof. Ricardo

EDUCAÇÃO FÍSICA – 4º Bimestre – 2012

 

 Ensino Médio – 1ª, 2ª e 3ª série.

Trabalho

  • Atividades de aventura e/ou esportes radicais e a cultura do movimento humano.

Apresentação do Trabalho

  • Manuscrito
  • Capa
  • Roteiro
  • Bibliografia

OBS.        Prazo de entrega: 23/11/12 (nota de 0 a 2)

Prof. Ricardo

Paraolimpiadas e Diferenças e Preconceitos nas práticas corporais.

As matérias relacionadas aos temas estão abaixo em formato de PowerPoint.

Click para baixar os arquivos.

Click no link abaixo para abaixar o power-point.

Aula Paraolimpíadas- atualizada

diferenças e preconceitos nas práticas corporais

Bom estudo!!!

Profª. Paola

Conteúdo 3º Bimestre

Capacidades Físicas

Capacidades Físicas são definidas como todo atributo físico treinável num organismo humano. Em outras palavras, são todas as qualidades físicas motoras passíveis de treinamento comumente classificadas em diversos tipos: Força, Flexibilidade, Resistência, Velocidade, Equilíbrio, Coordenação Motora (destreza) e Agilidade.

1- FORÇA:

Habilidade que permite um músculo ou grupo de músculos produzirem uma tensão e vencer ou igualar-se a uma resistência na ação de empurrar, tracionar ou elevar.

 

FORÇA ISOTÔNICA (DINÂMICA) – É o tipo de força que envolve os músculos dos membros em movimento ou suportando o peso do próprio corpo em movimentos repetidos.

FORÇA ISOMÉTRICA (ESTÁTICA) – É o tipo de força que explica o fato de haver força produzindo calor e não havendo produção de trabalho em forma de movimento.

FORÇA EXPLOSIVA (POTÊNCIA) – Habilidade de exercer o máximo de energia em um ato explosivo. P = F. Din. X V. Potência é igual á Força dinâmica X a Velocidade.

 

2- FLEXIBILIDADE

Pode ser evidenciada pela amplitude dos movimentos das diferentes partes do corpo. É dependente da elasticidade muscular e da mobilidade articular. A mobilidade articular é expressa pelas propriedades anatômicas das articulações e a elasticidade muscular é projetada pelo grau de estiramento dos músculos envolvidos. Portanto, a flexibilidade, capacita as pessoas a aumentarem a extensão dos movimentos, numa articulação determinada.

 

Exemplos: 1-Rotação dos ombros. 2-Elevação do joelho ao peito. 3-Flexão da perna atrás. 4-Flexão lateral do tronco. 5-Rotação do tronco.

 

 

3- RESISTÊNCIA

Qualidade física que permite um continuado esforço durante um determinado tempo.

 

*RESISTÊNCIA AERÓBICA: Permite manter por um determinado período de tempo, um esforço em que o consumo de O2 equilibra-se com a sua absorção, sendo os esforços de fraca ou média intensidade.

*RESISTÊNCIA ANAERÓBICA: Permite manter por um determinado período de tempo, um esforço em que o consumo de O2 é superior a sua absorção, acarretando um débito de O2 e que somente será recompensado em repouso, sendo os esforços de grande intensidade.

*RESISTÊNCIA MUSCULAR LOCALIZADA (RML): Capacidade individual de realizar num maior tempo possível a repetição de um determinado movimento, em um mesmo ritmo e com a mesma eficiência.

 

Exemplos: 1- Estátua (Resistência muscular localizada). 2-Corrida livre (Resistência aeróbica). 3-Cabo de guerra (Resistência anaeróbica). 4-Pique corrente (Resistência aeróbica). 5-Carrinho de mão (Resistência anaeróbica). É a capacidade de repetir várias vezes uma mesma tarefa utilizando-se baixos níveis de força. É a capacidade do músculo em trabalhar contra uma resistência moderada durante longos períodos de tempo.

 

Resistência de Curta Duração (RCD) – esforços entre 35″ e 2′;
Resistência de Média Duração (RMD) – esforços entre 2′ e 10′;
Resistência de Longa Duração (RLD) – esforços superiores a 10′;

RLD I: esforços entre 10′ e 35′
RLD II: esforços entre 35′ e 90′
RLD III: esforços entre 90′ e 6:00 horas
RLD IV: esforços de mais de 6:00 horas.

Esta classificação de Harre e Pfeifer pode parecer demasiado exaustiva, mas quem tiver experiência de treino de longa duração, percebe as enormes diferenças entre estas classes!!! Esta divisão baseia-se nas fontes energéticas e nos fatores limitantes do desempenho, pelo que é extremamente útil…

 

 

 

4- VELOCIDADE

Qualidade física particular do músculo e das coordenações neuromusculares, que permite a execução de uma sucessão rápida de gestos, que em seu encadeamento constitui uma só e mesma ação, de intensidade máxima e duração breve ou muito breve.

 

*VELOCIDADE DE DESLOCAMENTO: Capacidade máxima de uma pessoa deslocar-se de um ponto a outro.

*VELOCIDADE DE REAÇÃO: Rapidez com a qual uma pessoa é capaz de responder a um estímulo (visual, auditivo ou tátil). Tempo requerido para ser iniciada a resposta a um estímulo recebido.

*VELOCIDADE DE MEMBROS: Capacidade de mover membros superiores e ou inferiores tão rápido quanto possível.

 

5- EQUILÍBRIO

Capacidade para assumir e sustentar qualquer posição do corpo contra a força da gravidade.

 

*EQULÍBRIO ESTÁTICO: adquirido em determinada posição;

*EQUILÍBRIO DINÂMICO: adquirido durante o movimento;

*EQUILÍBRIO RECUPERADO: explica a recuperação do equilíbrio após o corpo ter estado em movimento.

 

6- COORDENAÇÃO MOTORA (Destreza)

Capacidade de executar movimentos complexos de modo conveniente, para que possam ser realizados com o mínimo de esforço. Constitui-se uma atividade psicomotora indispensável em todas as habilidades desportivas, devendo ser trabalhada em todos os programas de Educação Física desde os primeiros níveis. A repetição contínua de movimentos combinados melhora gradualmente a coordenação. É o resultado de um trabalho conjunto do sistema nervoso e o muscular, mostrando-se os movimentos coordenados, amplos e econômicos, sem desnecessárias contrações.

 

 

7- AGILIDADE

Habilidade que se tem para mover o corpo no espaço. Habilidade do corpo inteiro, ou de um segmento, em realizar um movimento, mudando a direção, rápida e precisamente. Requer uma combinação de várias qualidades físicas e embora dependa da carga hereditária, pode ser bastante melhorada com o treinamento.

 

 

 

VO2max Potência aeróbia ou “capacidade máxima” de consumo de oxigênio. Só mensurável com precisão em laboratório, existindo, no entanto, alguns testes de campo (relativamente simples) a partir dos quais se pode calcular (mas com menor rigor). Revela o condicionamento do “aparelho” aeróbio, dado que inclui todas as estruturas e funções intervenientes na fonte aeróbia, que contribuam para o consumo de O2. Pode medir-se em duas unidades diferentes; L/minuto e ml/kg/min. o valor total em L/min. é pouco interessante, dado que varia com a massa corporal do indivíduo. O valor mais interessante é o expresso em ml/kg/min.: um indivíduo bem treinado apresenta valores na ordem dos 55 a 65 ml/kg/min. (um atleta de alto rendimento pode atingir os 80 a 85 ml/kg/min., ou mesmo mais).

Limiar Anaeróbio É um ponto a partir do qual se inicia uma acumulação significativa de lactato no organismo (quando a fonte anaeróbia láctica aumenta a sua contribuição para níveis que já não permitem a remoção a tempada do ácido láctico). Este é um parâmetro muito controverso no mundo ciêntífico, dado ser uma construção artificial que facilita muito a prescrição de treino, mas apresenta alguma inconsistência em termos científicos. No entanto, a sua utilidade prática é enorme, dado que revela a intensidade máxima de esforço que um indivíduo pode manter por períodos prolongados. Expressa-se de diversas maneiras: FC em que se atinge ou intensidade de esforço (em Watts, Joules, Km/h, m/seg., etc.) Alguns atletas de alto nível chegam a apresentar um limiar anaeróbico muito próximo da sua FC máx. Existem protocolos de teste que permitem calcular o Limiar Anaeróbio com algum rigor (e enorme utilidade!).

Limiar Aeróbio Sofre das mesmas inconsistências do seu parente, refletindo (teóricamente) a intensidade de esforço mínima para estimular a fonte aeróbia de forma significativa (intensidade mínima de treino aeróbio).

Prof. Ricardo

Paraolimpiadas e Inclusão.

As matérias relacionadas aos temas estão abaixo em formato de PowerPoint.

Click para baixar os arquivos.

 

Aula de Inclusão

Aula Paraolimpíadas

Bom estudo!!!

EDUCAÇÃO FÍSICA – 1º Bimestre – 2012

 Ensino Médio – 1º, 2º e 3º ano.

Trabalho sobre Carboidratos

  • A importância dos carboidratos complexos no organismo humano.
  • Quais são os carboidratos simples.
  • Quais alimentos são ricos em amidos e fibras alimentares.

Apresentação do Trabalho

  • Manuscrito
  • Capa
  • Roteiro
  • Bibliografia

OBS.        Prazo de entrega: 23/03/12 (nota de0 a 2)

O OLIMPISMO – 3ª Série EM

O objetivo do Olimpismo é colocar o esporte a serviço do homem, a partir da criação de um estilo de vida baseado na alegria do esforço e no respeito entre os cidadãos, contribuindo para o desenvolvimento do indivíduo e fortalecendo a compreensão e a união entre os povos.

   É uma filosofia de vida que utiliza o esporte como ferramenta de trabalho para a formação de uma consciência pacifista, democrática, humanitária, cultural e ecológica.

Olimpismo atua como proposta de estabelecer a cordialidade nas relações internacionais, tendo como consequência um mundo melhor.

Os ideais do Olimpismo são: a participação em massa; a educação por intermédio do esporte; a promoção do espírito coletivo, do intercâmbio cultural e da compreensão inetrnacional; e a busca pela excelência.

Ao respeitar as regras e os adversários, e ao fazer da disputa esportiva uma oportunidade para o engrandecimento do espírito, você estará praticando o Olimpismo.

http://olimpiadas.uol.com.br/quiz/

http://esporte.ig.com.br/olimpiadas/p1237819826473.html

CONTEÚDO DO 1º BIMESTRE/ ENSINO MÉDIO 3º ANO

Prof. Ricardo

O OLIMPISMO – 2ª Série EM

O objetivo do Olimpismo é colocar o esporte a serviço do homem, a partir da criação de um estilo de vida baseado na alegria do esforço e no respeito entre os cidadãos, contribuindo para o desenvolvimento do indivíduo e fortalecendo a compreensão e a união entre os povos.

   É uma filosofia de vida que utiliza o esporte como ferramenta de trabalho para a formação de uma consciência pacifista, democrática, humanitária, cultural e ecológica.

Olimpismo atua como proposta de estabelecer a cordialidade nas relações internacionais, tendo como consequência um mundo melhor.

Os ideais do Olimpismo são: a participação em massa; a educação por intermédio do esporte; a promoção do espírito coletivo, do intercâmbio cultural e da compreensão inetrnacional; e a busca pela excelência.

Ao respeitar as regras e os adversários, e ao fazer da disputa esportiva uma oportunidade para o engrandecimento do espírito, você estará praticando o Olimpismo.

http://olimpiadas.uol.com.br/quiz/

http://esporte.ig.com.br/olimpiadas/p1237819826473.html

CONTEÚDO DO 1º BIMESTRE/ ENSINO MÉDIO

2º ANO

Prof. Ricardo

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.